FeNaVerdade.com

 

Gostaria de começar essa breve reflexão com um pequeno trecho de uma entrevista com Os Arrais (André e Thiago) concedida ao site/podcast irmaos.com (episódio #261):

“Se for pra me encaixar em uma categoria… Eu me considero um educador muito mais do um artista, músico ou qualquer outra coisa. Usamos a música como meio de educação… Para as pessoas criarem uma paixão maior pela Palavra de Deus. A Bíblia é um livro de poesia, de literatura, de revelação… Salmos por exemplo é um livro inteiro de poesia e a revelação está ali dentro, quando a gente tenta desassociar uma da outra entramos em diversos conflitos e problemas. A Teologia nas nossas letras é apenas um tira gosto, a refeição verdadeira está na Bíblia, na Palavra de Deus.”

É comum ao músico, cantor ou compositor cristão enxergar que sua função é a de conduzir a igreja nos louvores e adoração a Deus. Isso é verdade, mas não descreve completamente essa atividade e responsabilidade. Na entrevista eles sistematizam algo que percebemos na prática. Ao longo da semana, as pessoas frequentemente não se recordam dos textos bíblicos lidos no culto, as vezes nem do tema do sermão, no entanto, o mesmo não acontece com as músicas cantadas. Isso somado a pouca leitura das Escrituras, faz com a compreensão de Deus e de suas doutrinas seja extraída majoritariamente das músicas cantadas.

Então, respondendo a questão de forma objetiva, podemos dizer que tanto o adorar/conduzir a adoração, quanto o ensinar/educar são funções do músico cristão, sendo que é possível que ele falhe na função de conduzir a adoração ou adorar, mas mesmo nessas circunstâncias ele ensina. A função de educador se sobrepõe a de adorador. O ministério de louvor educa por meio das letras dos louvores e pela postura de seus componentes, e ainda que errado, ensina sempre. Nem sempre adora ou leva a adorar, mas sempre ensina!

Esse entendimento eleva a responsabilidade dos compositores e de quem seleciona os louvores (infelizmente nem sempre podemos chamar de “louvores”).
Pois entender que os ministros de louvor devem conduzir a igreja a adoração, fará com que os louvores sejam teocêntricos (centrados em Deus) e não antropocêntricos (centrados no homem) pois é necessário que adoremos a Deus em Espírito e em verdade (Jo 4:24).
E entendendo que além disso são também educadores, terão maior cuidado se as letras estão de acordo com o padrão que recebemos.

Geralmente para justificar letras que divergem desse princípio, argumentam utilizando a intenção do autor, ou sua forma de se expressar ou ainda a chamada licença poética.
Um músico secular faz uso da licença poética permitindo-o extrapolar conceitos de uma forma que não seria aceitável fora do campo da arte. Já para o compositor cristão, o limite dessa licença é quando ele fere ou contradiz algum princípio bíblico. Seja na literatura, poesia ou música; Para qualquer coisa que fazemos, escrevemos, cantamos, devemos ter como fonte e norma as Escrituras Sagradas e como finalidade glorificar a Deus.

Qualquer dom concedido por Deus é para glória Dele, para serviço e edificação da igreja.
Não há como ensinar que a glória é pra Deus, cantando aos homens. E se o louvor não for a Deus, perde-se o propósito de cantar, tocar e compôr.
Por fim, se o que ensinamos através dos louvores não é bíblico, não estamos servindo nem a Deus, nem a igreja.

Cada um exerça o dom que recebeu para servir os outros, administrando fielmente a graça de Deus em suas múltiplas formas. Você tem o dom de falar? Então faça-o de acordo com as palavras de Deus. Tem o dom de ajudar? Faça-o com a força que Deus lhe dá. Assim, tudo que você realizar trará glória a Deus por meio de Jesus Cristo. A ele sejam a glória e o poder para todo o sempre! Amém.
1 Pedro 4:10‭-‬11

2 comentários até o momento.

  1. Muito bom. Daí a importância de atentarmos para as letras. Que sejam letras verdadeiras, sem erros teológicos, pq não estaríamos nesse caso nem adorando, nem conduzindo à adoração e muito menos educando na Palavra.
    O q mais temos hoje são louvores cheios de erros teológicos.

    Response from Ana Cristina
  2. Olá.
    Ressalto a importância desse texto porque ele da conta de que tudo que se faz na vida é para glória de Deus. E sendo pra gloria de Deus, não cabe mais a sua – seja você o que for: músico, compositor, ouvinte. Deus abençoe a sua vida, Rafael.

    Response from Otto