FeNaVerdade.com

Certa vez ouvi uma música entoada durante um culto a evangélico, e nessa música continha uma frase sem qualquer significado semântico, contextual e muito menos bíblico. Eu fiquei intrigado e perguntei a um irmão sentado ao meu lado se ele saberia me dizer o que o autor dessa música quis dizer e a resposta foi a seguinte “O autor colocou essa parte para que o “louvor” rimasse”. Por um momento pensei Músico cristão não possui licença poética“; mesmo em um momento em que a música brasileira é representada por músicas monossilábicas e grande parte do povo brasileiro e talvez até dos evangélicos se agradem disso, nós cristãos não devemos ser moldados pela cultura, mas sim nos remeter aos parâmetros bíblicos do louvor e adoração.

Muitos estudiosos da Bíblia afirmam que os Salmos em grande parte eram entoados pelos judeus durantes as cerimônias de louvor ao Senhor e se examinarmos o conteúdo desses Salmos veremos que o predomina é adoração, louvor e gratidão, podemos observar também os desejos, sentimentos, pensamentos e necessidades dos Salmistas em algumas passagens, mas com certeza essa não é a essência de seu conteúdo, no entanto o padrão dominante hoje em dia é bem diferente, o foco está predominantemente no homem, no que ele quer, sente ou acha que precisa, talvez influenciado pelas atuais práticas neopetencostais chamadas de “Confissão positiva”, que afirmam que há poder em nossas palavras. É como se bastasse afirmar qualquer coisa com fé e aquilo se tornará verdade, o problema é que além de ser uma falsa doutrina, sua fé não está em Deus, mas em seus próprios umbigos.

Além disso a música classificada como gospel atualmente no Brasil é pobre de conteúdo, antropocêntrica e em muitas vezes não cumpre o seu propósito, que deveria ser o de adoração a Deus. Acredito que esses são apenas sintomas que indicam que nossas Igrejas tem se afastado completamente da palavra de Deus como única regra de fé e prática. O apóstolo Paulo diria que “Toda a Escritura é divinamente inspirada e proveitosa para ensinar, para repreender, para corrigir, para instruir em justiça”(2 Tm 3.16) e se os louvores entoados em nossas Igrejas não forem baseados essencialmente nas Escrituras não alcançarão o propósito para o qual existem.

Tenha sempre em mente que “Música evangélica ou Gospel” e louvor a Deus nem sempre representam a mesma coisa, a começar pela motivação dos intérpretes ou músicos que atuam nesse meio. Nos últimos anos fica fácil notar pelo seu conteúdo, que a intenção das canções talvez na maioria das vezes é mercadológica. O foco deixou de ser vertical e passou a ser horizontal, ou seja, o objetivo genuíno do louvor na Igreja deveria ser o de levar as pessoas a Deus em adoração, mas o que de fato tem acontecido é que os louvores tem nos levado a nós mesmos e isso pode até fazer com que o homem se sinta bem momentaneamente, mas sua alma continua com um vazio do tamanho de Deus, o qual somente Ele pode preencher. Portanto, é imprescindível cantarmos a verdade e somente através dela seremos libertos(Jo 8:32).

Precisamos ser como o povo de Bereia que examinavam diariamente as Escrituras, testificando se o que estava sendo ensinado era de fato correto segundo a Santa Palavra de Deus.(Veja Atos 17:11)

Sola Scriptura / Soli Deo Gloria

Por Rafael Dantas

4 comentários até o momento.

  1. Interessante!
    Há uma conspiração com foco horizontal, que não edifica e não tráz almas para cristo.

    Devemos orar e abrir nosso coração para que o Senhor nos deixe alertas para não cairmos em ciladas.

    A paz para todos os irmãos.

    Response from Felipe Alves
  2. A graça e a paz sejam com todos.
    O tema não ficou muito claro pra mim, mas tenham total liberdade para me corrigir.

    Se o que estamos fazendo é um comparativo entre, Música Gospel e Louvor, ficou faltando o item Adoração.
    Bom dentro de algumas definições temos:

    1 – Música Gospel, é um gênero musical, ou mesmo uma classificação para músicas onde o conteúdo de algum modo expressa um contexto “Cristão”, e nesse contexto, não importa se Católico ou Protestante pois a classificação comercial é a mesma para ambos.
    Sim, comercial, pois se um produto é criado e vendido de forma a gerar lucro, isso é comércio. O CD é produzido e vendido com uma categoria (Música Gospel). O Captalismo precisa disso.

    2 – Louvor. A minha definição para louvor seria, um ato, uma expressão de gratidão, de carinho, de paixão ou mesmo de “amor” que dentro do nosso contexto é direcionado à Deus. Podemos louvá-lo com danças, palmas, instrumentos musicais, etc., e lógico a música “gospel”. Mas até aí quando o Louvamos os nossos olhos e ouvidos e o dos nossos irmãos podem perceber o que está acontecendo. Mas e a adoração ?

    3 – Adoração. Essa poucos a aconhecem de fato. A verdadeira adoração sinaliza onde você está de fato para que Deus te ache. A Adoração verdadeira, gera frutos, te aproxima de Deus, mas ninguem vai vê-la acontecedo. Na platéia só terá um. O próprio Deus.

    Aí fica o auto questionamento. O que a minha música tem gerado ? Somente um produto para mercado da música gospel? Um produto do mercado que é consumido em momentos de louvor ?

    Ou minha música tem gerado faróis sinalizado pra Deus “Eis me aqui Senhor” ?

    Um rio não pode jorrar águas doces e amargas. Que águas tem jorrado do dom que nos foi dado ?

    E que fiquem todos na Paz do nosso Senhor Jesus.

    Marcelo Oliveira.

    Response from Marcelo Oliveira
  3. Boa noite Marcelo,

    A paz de Cristo ! Primeiramente, muito obrigado pelo seu comentário e em segundo lugar gostaria de fazer algumas considerações:

    O objetivo do texto e do tema é nos fazer refletir sobre o conteúdo dos canticos que estão sendo entoados em nossas igrejas.

    De fato a música “Gospel” é apenas um genero musical, mas no meu entender não deveria ser apenas isso.
    A Bíblia é clara quando diz que o obreiro é digno de seu salário(Lucas 10:1-20), mas também é clara sobre qual deve ser nosso maior objetivo que é glorificar a Deus em tudo que fazemos(1Co 10.31).
    Deus nos abençoa com dons espirituais e devemos usá-los para servir a Igreja e glorificar a Deus. Se o objetivo se tornar em 1º lugar comercial, Deus não será glorificado e então torna-se necessário fazer distinção entre músical Gospel ou Evangélica e Louvor/Adoração. Além disso ainda que a motivação esteja correta e o compositor/interprete sejam sinceros, se o conteúdo cantado não estiver de acordo com a Bíblia, da mesma forma Deus não será glorificado. É bem verdade que existem muitos irmãos sinceros, porém errados. A Bíblia diz que pecamos por não conhecer devidamente as Sagradas Escrituras(Oséias 4:6). Quando o conteúdo do cantico não é Bíblico, podemos classificá-lo como “arte” do genero gospel, mas talvez não seja correto chamá-lo de cristão.

    Apesar de não definir explicitamente os termos “Música Gospel”, “Louvor” e “Adoração” no texto, acredito que seus significados estão implicitos em seu conteúdo. E realmente, não é possível julgar a motivação das pessoas, só Deus pode fazê-lo, mas quanto ao conteúdo de suas mensagens não só é possível como é nosso dever “batalhar pela Fé, que uma vez foi dada aos Santos.” (Jd 1:3)

    Mas querido irmão, além de um desabafo, meu desejo é que Deus seja glorificado e isso só poderá ser feito através da verdade.

    Fico muito feliz mesmo com sua interação e espero de alguma forma ter lhe acrescentado algo.

    Fique na paz de Cristo !

    Rafael Dantas

    Response from Rafael Dantas
  4. A graça e a paz sejam com todos.
    Com certeza os posts tem me acrescentado muito.
    O assunto é tão vasto que todos os blogs seriam poucos. .

    Que a graça e a paz seja convosco.

    Marcelo Oliveira

    Response from Marcelo Oliveira